Páginas

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Militar morre em acidente envolvendo carro e carreta em Divinópolis

Duas pessoas morreram em um acidente envolvendo um carro e uma carreta, na noite de domingo (26), na Rodovia MG 050, próximo ao Km 118, em Divinópolis, Região Centro Oeste de Minas Gerais.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a carreta de placa, GZY 0436, de Pains, bateu em um Fiat Pálio HCL 9772, de Divinópolis, deixando dois passageiros do carro mortos, um deles ficou preso às ferragens e o outro foi arremessado para fora do veículo.

Outras duas pessoas ficaram gravemente feridas. Frank Miranda Mesquita, soldado da Polícia Militar, lotado no 23º Batalhão e Tatiane, morreram ainda no local. Já o motorista, Lucas Felipe Vieira, de 23anos, e Larissa ficaram gravemente feridos.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2011/06/27/interna_gerais,236301/militar-morre-em-acidente-envolvendo-carro-e-carreta-em-divinopolis.shtml


sábado, 25 de junho de 2011

Policial é morto ao ser confundido com bandido em SP


Agência Estado Pub.25/06/2011
 
O soldado Rodrigo Aparecido Pansani, de 27 anos, lotado nas Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), foi morto a tiros, por volta das 20h45 desta sexta-feira, dia 24, por colegas das Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicleta (Rocam), na altura do nº 5.500 da avenida dos Bandeirantes, próximo ao aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. O soldado, que estava à paisana, de moto e com arma em punho, ao lado de um carro que havia sido utilizado por criminosos, foi confundido com um bandido.

Tudo começou na residência nº 278 da rua Camundó, no Planalto Paulista, bairro vizinho, onde o dono da casa, um senhor, deficiente audiovisual, que realiza banho e tosa em animais, entregava um cachorro ao dono na porta da residência. Três bandidos chegaram, anunciaram o assalto e invadiram casa. Um vigia da rua viu e acionou policiais militares do 12º Batalhão. Ao chegarem em frente ao imóvel, os PMs flagraram o trio deixando a casa em um Fiat Stilo preto. Na troca de tiros, um dos policiais foi baleado de raspão e, na sequência, encaminhado para o Hospital Santa Cruz.

O soldado Pansani, que estava em uma Honda Biz preta, também passava pelo local e começou a perseguir os criminosos, que entraram na avenida dos Bandeirantes, onde abandonaram o Fiat Stilo, atravessaram a pista e, do outro lado, roubaram um Honda Civic. Ao parar ao lado do Fiat, já cravejado de tiros, o soldado, com arma em punho e à paisana, foi abordado por colegas da Rocam. Ao se virar e mostrar a arma, o soldado, sem tem tempo de se identificar como policial militar, foi baleado e morto ali mesmo. Os bandidos continuam foragidos. O caso foi registrado no 27º Distrito Policial, do Campo Belo.

Escrivão da polícia tem carro furtado dentro de delegacia em SP

Secretaria da Segurança diz que suspeito pegou as chaves sem ser visto.
Caso ocorreu na Zona Leste e o homem foi preso após bater com o veículo.

Do G1 SP - 25/06/2011 11h18

Um escrivão do 56º DP (Vila Alpina), na Zona Leste de São Paulo, teve o carro furtado na madrugada deste sábado (25) dentro do pátio da delegacia. De acordo com o boletim de ocorrência divulgado pela Secretaria da Segurança Pública, o autor do crime se apresentou como funcionário público, tem 19 anos, e consta no registro do DP que ele “sorrateiramente subtraiu as chaves do veículo que estavam no balcão” e saiu sem ser visto. O suspeito foi preso depois de bater o Escort.

O acidente ocorreu por volta de 2h na Avenida Professor Luiz Ignácio Anhaia Mello, onde o suspeito bateu em uma árvore. Ele, que foi indiciado por furto qualificado, foi internado por causa dos ferimentos. Segundo boletim de ocorrência, assim que pegou as chaves, o rapaz disparou o alarme para localizar o automóvel no pátio da delegacia e saiu. Aproximadamente meia hora depois, os policiais militares que foram ao local da batida receberam uma ligação informando que o carro tinha sido furtado.

A Secretaria e a delegacia não informaram o motivo que fez o suspeito procurar o DP. No distrito, os investigadores disseram apenas que ele não consta como vítima em nenhum boletim de ocorrência feito de madrugada. A Polícia Militar também não soube informar detalhes do caso.



quarta-feira, 22 de junho de 2011

Helicóptero da Record flagra troca de tiros entre policiais e traficante no Rio de Janeiro!


O tiroteio aconteceu no Parque Alegria, no complexo do Caju. O bandido tentou fugir em um carro e disparou contra o helicóptero da polícia. O criminoso estava armado com um fuzil e os policiais reagiram com tiros.

Cidade alerta:
publicado em 20/06/2011 às 17h19

terça-feira, 21 de junho de 2011

POLICIAL CIVIL DO DF REAGE E MATA ASSALTANTE




No vídeo, a policial civil feminina reagiu a um assalto a um açougue e matou um dos suspeitos. Segundo a descrição do vídeo, o fato se deu no Distrito Federal. Um dos assaltantes chega a atirar na policial, que aparentemente não foi atingida. Situação muito tensa.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Apenas Ser Policial

 Apenas ser policial!
É ter o dever constante para com a vida e os bens do próximo... É levantar-se a cada manhã e não saber como será o fim do dia... É sair para trabalhar, e saber que lá não lhe darão condições mínimas do exercício digno de sua profissão, lhe cobrarão até o que não é sua obrigação, lhe ofertarão um local insalubre, sujo... E, sem pena, apontarão para um leito fedorento, e lhe dirão, se quiser descansar... É ali!
 Ser policial é receber um chamado telefônico, por rádio, pessoalmente, por um grito descompensado... E sair correndo para acudir, pois, mais importante que sua vida, é a vida de quem lhe clama... E depois, nem um "muito obrigado" existirá!
 Na polícia, a sociedade lhe critica, quando alguns pares, da escória existente em qualquer sociedade, desde professores a médicos, são integrantes do mal, mesmo quando se sabe que esta parte é apenas uma minoria desonrada, que jamais deveria sobrepujar a maioria que dar suor, sangue e vida pela mesma sociedade que julga...
 Na polícia, quando um policial, mesmo fora de serviço, age em defesa de terceiros, e morre, recebe uma medalha de honra... Mas será que era isso que ele queria, ou que sua família queria??? Ou será que preferiria ter sido reconhecido em vida, por cada ato que realizou, mas que nunca precisou externar?
Na polícia, o dia a dia é simples, não é muito complicado! É ter com você uma arma velha (se for dada pelo Governo), ou uma pistola suada, comprada com seus vencimentos, e que se participar de uma ação em defesa da sociedade, ficará presa à Justiça por anos a fio, até que o processo termine... É sair para rua e deparar-se com cidadãos a margem da sociedade, bem preparados, armados com dinheiro do tráfico, e ter que usar um colete usado no dia anterior pelo colega, suado, apertado, quente, vencido sua validade por ter mais de 10 anos de uso, e ter a esperança, somente ela, que se uma bala for disparada, o colete resista, ou mesmo que o alvo não seja você!
Na polícia é simples! Se sair para atender um ocorrido, e um meliante, bandido, ou como querem os Direitos Humanos, "cidadão excluído pela sociedade", lhe abordar, armado em punho, e o policial defender-se ou a outrem, terá que plenamente provar que agiu dentro da Lei, pois no dia seguinte, nos tabloides sensacionalistas, não deixarão de brotar humanistas a dizer que o cidadão desqualificado (leia-se bandido) era um homem de bem, de família, trabalhador, mesmo estando de posse de uma pistola 44, alguns quilos de drogas, e tenha duas ocorrências por ameaça a esposa... É saber que velhas máximas jurídicas: "só é culpado depois do trânsito em julgado", "plena defesa", "fé de ofício..." NÃO VALEM PRA POLICIAL... Apenas para bandido... Que o digam os "Ricardos Motas" da vida... (poucos se lembram, que logo depois do massacre de Realengo, quando ainda não se sabia até onde aquele ato insano teria chegado, alguns ricardistas levantaram logo a voz, para indagar se o policial que adentrou a escola, e atirou no maluco teria agido corretamente, e se calaram somente depois que  a verdade dos fatos e vídeos mostraram como fora a ação policial!)
Na polícia é simples! É ver o Governador dar 35% de aumento aos seus secretários e imaginem "subsecretários" (a pergunta que não quer calar é: o que é que subsecretário, adjunto ou sei lá o que faz mesmo?), e ofertar, depois de 04 (quatro) anos sem aumento, o valor de 5,9% e dizer que isto é reposição de perdas, quando até mesmo o salário mínimo nos últimos quatro anos teve o equivalente a 47%...
Mas na polícia, é na polícia... Não é por apenas isso que desistiria do meu sonho, dos meus deveres e obrigações e da HONRA inigualável de defender com afinco a sociedade e o povo, pois se com a polícia é ruim, como seria sem ela??? Ou afinal, quando estamos em apuros, o que gritamos na rua é: – socorro mamãe ou socorro polícia?
Igor Jeferson – Policial Civil, desrespeitado, mas com orgulho!! (recebido por e-mail)